Notícias

06.08.2021

O milagre Dudu

“Em setembro de 2018, após cinco gestações, sendo três abortos espontâneos, das cinco já tínhamos nosso príncipe chamado Heitor de sete anos, era a vez do nosso outro príncipe Eduardo vir na última tentativa de sermos pais novamente.

A gravidez evolui normalmente, administrando uma medicaçãodevido aos abortos anteriores, todos os dias era aplicada uma injeção na mamãe com o propósito de segurar a nossa última tentativa. E assim os meses foram passando até chegarmos em março de 2019, onde começaram as complicações, no sexto mês de gestação nosso pequeno Eduardo dava indícios de vir ao mundo bem antes do tempo, as dores começaram no início do mês, por conta do nosso medo fomos para Palmas a fim de um tratamento para segurar nosso filho por mais tempo.

Apesar de todas as tentativas, aos nove dias do mês de março, às 21:57 horas nasceu nosso pequeno guerreiro, medindo 34 cm e pesando apenas 760 gramas, naquele momento o medo tomou conta novamente de nossos corações, pois jamais tínhamos chegado tão longe dentre todas as gestões que havíamos perdido, as outras três gestações perdíamos por volta de dois a três meses.

A partir daquele momento, o que cercava nosso coração era a fé, contávamos apenas com a misericórdia de Deus para que nosso pequenino pudesse sair daquela situação. Eduardo ficou aguardando leito na UTI Neonatal, isso já foi desesperador, pois ver meu filho todo entubado e ainda aguardando leito foi muito dolorido. A vaga surgiu e meu filho foi para a UTI Neonatal para lutar pela sua vida, foram longos quatro meses de lutas, onde passou por vários obstáculos: pneumonias, derrame cerebral, infecções, fungos, transfusões sanguíneas, atelectasias, extubações.

A rotina era estar todos os dias dentro de uma UTI neonatal, é ficar por dentro de procedimentos e medicações, é comemorar cada ml do leite aumentado e cada grama de peso, é ver meu filho crescendo dentro de uma incubadora. É torcer para poder pegar ele ou ter que senti-lo nas pontas dos dedos esterilizados com álcool em gel. É contar os minutos para ir visitá-lo e morrer de saudade ao vir embora, é ficar ansioso para conversar com os médicos a espera de uma novidade, é ver meu pequeno Dudu respirando por aparelhos enquanto eu suspiro ali por ele.

Tudo superado pelo poder da fé e das orações, rezamos o santo terço todos os dias e assim fomos rompendo todas as dificuldades. Após todo esse processo doloroso, nosso filho ganhou alta no dia 28 de Junho de 2019, pesando 2.485kg e medindo 42cm, um verdadeiro milagre, reconhecido pelos próprios médicos, pois a expectativa de vida da UTI Neonatal era de 28 semanas acima, e nosso pequeno guerreiro veio para quebrar esse índice pois nasceu com apenas 24 semanas de gestação.

Hoje a nossa caminhada continua com orações, consultas, acompanhamentos, mas no coração a certeza que Deus foi misericordioso e nos concedeu a vida do nosso filho para que sempre que olharmos para ele sabemos da força de Deus em nossas vidas. Obrigado Senhor por tudo que fizeste na vida do nosso pequeno Eduardo, Amém!
Meu guerreirinho cada dia que passa se supera mais, nos deixando mais orgulhosos. Hoje estamos com Dudu em casa, se recuperando e adaptando a cada dia pesando 3.240kg e muito bem graças a Deus.”

(Relato da mamãe Núbia, enviado em 2019)

Compartilhe esta história

Histórias Reais

Veja histórias por:

Receba as novidades

Assine nossa newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no universo da prematuridade.