• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

João Paulo e Liz Vitória Meus Milagres

14/09/2021 HISTÓRIA 1

“Com 18 anos engravidei do meu primeiro filho, foi a maior alegria da minha vida. Me casei com meu namorado, quando estava no 4° mês de gestação. Estava tudo bem, não tive nenhum dos sintomas de gestação até o 6° mês, quando senti dores na barriga, fui ao posto de saúde e a enfermeira me orientou que era normal sentir essas dores e não me passou para a médica.

Três dias depois estava em casa, meu marido no trabalho, comecei a sentir dores novamente só que eram muito fortes. Fui direto ao pronto socorro, já com muitas dores e a médica disse que estava em trabalho de parto, fiquei desesperada pois estava com apenas 26 semanas. Me encaminharam para a maternidade, me deram corticóide para o pulmão do bebê e tentaram segurar ao máximo.

Às 14:44h do mesmo dia meu pequeno João Paulo nasceu, com 1,205kg e 38 cm, então começou minha luta. Foram 52 dias internado, cinco dias entubado, duas pneumonias e duas bolsas de sangue, Deus me deu coragem e força para vencermos juntos. Hoje 10 anos depois ele é perfeito, inteligente e sem nenhuma sequela, o menino mais amoroso e cuidadoso que eu já vi, meu primeiro milagre.

Engravidei duas vezes depois dele e perdi sem saber o motivo, procurei um médico especialista e me diagnosticou com trombofilia. Como queríamos muito outro filho, comecei um tratamento com injeções anticoagulantes e alguns meses depois engravidei.

Foi uma gestação tensa, pois tínhamos medo de perder nosso bebê novamente, não tive sintomas além dos enjoos comuns da gestação. Fiz um ultrassom em médica disse, que minha bebê não estava crescendo como deveria, a placenta não estava funcionando como deveria.

Deste dia em diante, fui todos os dias ao médico fazer ultrassom para segurar ao máximo minha bebê dentro da barriga. Com trinta semanas, precisei fazer uma cesárea de emergência, ela já estava em sofrimento. Liz Vitória, nasceu com 880g e 35cm, com dois dias de vida teve que fazer uma cirurgia pois nasceu com atresia duodenal, graças a Deus tudo correu bem e ela se recuperou perfeitamente.

Ficou dois meses entubada, teve pneumonia, teve DMO (doença metabólica óssea) e transfundiu cinco bolsas de sangue (anemia). Foram 91 dias internada, dias de muita luta, cansaço, preocupações, choro. Nós vencemos todas as batalhas, hoje ela está com 5 meses, ainda faz acompanhamento médico, está perfeitamente bem, se desenvolvendo e nos dando alegria dia a dia.”

(Relato da mamãe Aline, enviado em 2019)



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se