• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Escala ISSA | Instrumento de avaliação de risco de lesão de pele em unidade de terapia intensiva neonatal

10/11/2021 WhatsApp Image 2021-11-09 at 09.43.56

Sanah Pohlmam Issa | COREN-RS 382.360
Mestre em Enfermagem (UNISINOS), Especialista em Neonatologia (SÃO CAMILO) e Saúde Pública (UNINTER).

Introdução

A pele é o maior órgão do corpo humano cujas funções são importantes para o neonato internado em unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN). Trata-se de uma barreira de proteção, pois, além da barreira física, a pele, enquanto íntegra, possui funções que conferem proteção contra infecção ao recém-nascido (RN) por meio do desenvolvimento do manto ácido.

Em UTIN, os bebês internados apresentam diversos fatores de risco para ruptura da camada cutânea, como exemplo, exposição ao calor, umidade, uso tópico de substâncias químicas e corrosivas, uso de adesivos, administrações de medicações, imobilização física, pressão e excreções. Tendo em vista esses agravantes, a atuação da enfermagem é de extrema importância no sentido de oferecer cuidados de prevenção de lesão de pele nesses pacientes e maior qualidade aos neonatos.

Os protocolos de cuidados e a sistematização da assistência de enfermagem são aliados da enfermagem a fim de realizar a prevenção de lesões de pele em neonatologia, como também no uso de instrumentos específicos para a avaliação da condição da pele e do risco que a mesma apresenta quanto a lesões.

Na literatura, há uma escassez de escalas para a avaliação da pele do RN traduzidas e adaptadas ao português, e as existentes são orientadas para a avaliação da condição da pele ou do risco de lesão por pressão (LP). Foram encontradas duas escalas voltadas à avaliação da pele infantil, a Escala de Braden Q, que avalia a pele quanto ao risco de LP em pediatria, e a Escala de Condição da Pele do Recém-nascido (NCCS), para auxiliar no exame físico da pele.

Com o objetivo de desenvolver um instrumento para avaliar o risco de os neonatos internados em UTIN desenvolverem lesão de pele, foi elaborada a Escala ISSA, que analisa os principais fatores de risco que esses pacientes apresentam e são expostos durante a internação.

A Escala ISSA é composta por 12 itens desenvolvidos a partir dos principais fatores de risco de lesão de pele para os bebês, identificados em uma revisão integrativa.

A escala ISSA

A Escala ISSA foi construída a partir da revisão da literatura e teve sua validade de conteúdo analisada por especialistas da área com auxílio da Técnica Delphi. Os profissionais que integraram o estudo foram selecionados respeitando-se os critérios de inclusão e exclusão estipulados no projeto e buscando a experiência necessária nessa temática: neonatologia e cuidados com a pele do neonato.

Para a avaliação da confiabilidade do instrumento, foi utilizado o coeficiente alfa de Cronbach, que representa o grau de consistência interna da escala, ou seja, a homogeneidade de seus itens. Os valores de alfa de Cronbach alcançados neste estudo foram considerados substanciais, mantendo um bom índice de confiabilidade de 0,69.

Ao desenvolver a Escala ISSA, foram identificados como fatores de risco para lesões de pele em neonatos internados em UTIN: uso de dispositivos médicos; uso de antisséptico tópico; baixo peso; uso de adesivos na pele do neonato; uso de CPAP nasal; tempo prolongado de permanência na UTIN; dias de vida; prematuridade; alterações metabólicas; mobilidade; umidade; atrito e cisalhamento; terapia com antibióticos; punção; aplicação de calor; banho e higiene; posicionamento; infecção; eliminações fisiológicas; e uso de produtos químicos na pele do neonato. A escala se diferencia das demais existentes para a população neonatal, pois, além de avaliar o risco de LP, também identifica os fatores de risco para as lesões mais incidentes nestes pacientes, contribuindo para a manutenção da integridade cutânea do RN internado na UTIN.

A pontuação para cada item varia de 1 a 3, sendo que o escore 1 caracteriza o risco mais baixo e 3, o risco mais alto (Quadro 1). Portanto, quanto maior o escore final, maior o risco de o neonato desenvolver lesão de pele.

Considerações finais

A detecção precoce dos riscos de desenvolver lesões e a implementação de prevenção possibilitam melhor assistência aos neonatos internados em UTIN, evitando injúrias cutâneas decorrentes da internação nessas unidades hospitalares. Com isso, a Escala ISSA contribui para essa qualidade assistencial, pois ela foi desenvolvida com o objetivo de detectar precocemente os riscos existentes para que as medidas de prevenção sejam instituídas ao bebê internado em UTIN.

O uso de escalas para avaliação do risco de o RN desenvolver lesões de pele favorece a padronização das medidas de prevenção e a escolha criteriosa de tecnologias específicas para esta finalidade, ofertando aos profissionais de enfermagem subsídios para a tomada de decisão frente ao escore obtido na Escala ISSA.

Referencias e artigo em PDf disponiveis aqui.

Agradecimento aos nossos apoiadores, Pampers.



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se