• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Americana que nasceu com 23 semanas e 245 gramas é o menor bebê do mundo a sobreviver

O parto prematuro aconteceu devido à pré-eclâmpsia da mãe.

Com apenas 23 semanas, a pequena Saybie nasceu e se tornou a menor bebê do mundo a sobreviver. Ela nasceu em dezembro, no Sharp Mary Birch Hospital for Women & Newborns, situado em San Diego, na Califórnia (EUA), com 245 gramas e media 23 centímetros, ou seja, 7 gramas menor que o do bebê que até então detinha o recorde, nascido na Alemanha, segundo registro da Universidade de Iowa. Um bebê que veio ao mundo no início deste ano no Japão, pesando 268 gramas, é considerado, por sua vez, o menor menino a sobreviver a um parto prematuro.

Os médicos disseram à família que ela teria poucas horas de vida, mas não foi o que aconteceu. Saybie teve alta pesando 2,26kg e 40cm, com boa saúde, segundo um comunicado do hospital.

O parto prematuro aconteceu devido à pressão da mãe. "Disseram que tinha pré-eclâmpsia (complicação da gestação potencialmente severa que se caracteriza por pressão alta). Passava dos 200. Disseram que tinha que dar à luz rápido", lembrou a mãe. “Repetia ‘não vai sobreviver, tem apenas 23 semanas'”, enquanto uma gravidez média dura 40. “Foi o dia mais assustador da minha vida”, disse a mãe da menina que pediu para manter preservada a identidade de sua família. “Passei mal, achei que fosse da gravidez”.

Saybie nasceu de uma cesariana de emergência com 23 semanas e três dias de gestação. Uma bebê “micro prematura” (menos de 28 semanas) enfrenta hemorragias cerebrais e problemas pulmonares e cardíacos, com pequenas chances de sobrevivência. Uma enfermeira que cuidou dela acredita que sua recuperação foi um "milagre".

“Disseram ao meu marido que teria uma hora com ela e que em seguida morreria. Mas essa hora virou duas, e estas duas, um dia, e em seguida uma semana”, contou a mãe em um vídeo divulgado pelo hospital. Após cinco meses internada, ela teve alta pesando 2,26 kg e 40 cm centímetros, gozando de boa saúde, segundo um comunicado do hospital. 

De acordo com os médicos, a sobrevivência de Saybie pode ser atribuída ao fato de que ela não sofreu complicações graves após o nascimento.

"Saybie não passou por praticamente nenhum dos desafios médicos que costumam ser associados aos micro prematuros, que podem incluir hemorragias cerebrais, problemas pulmonares e cardíacos", explica o hospital. “Cada vida é um milagre, mas aqueles que desafiam as possibilidades, o são ainda mais”, disse à AFP Edward Bell, médico pediatra que tem o registro.

“Sinto-me abençoada”, expressou a mãe. “É a menor bebê do mundo e é minha!”.

Fontes: Correio, G1 e Veja (notícia original publicada em 30/05/19).
(Fotos: AFP)



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se